Meu querido Pai,

Sabes aquele verso que diz “filhos, é melhor nem tê-los!”? Sei muito bem que às vezes ficas meio nervoso e pensas alguma coisa parecida. No entanto, neste Dia do Pai eu gostaria de te pedir desculpas por todas as minhas falhas, por todas as preocupações que eu já possa ter te causado e dizer que és o pai mais maravilhoso do mundo.

E se, por acaso, alguma loja estiver com algum novo modelo de pai em promoção, eu não vou trocar o meu, porque apesar de mais velhinho, deste “produto” eu já recebi todas as garantias! Às vezes (confesso que não resisto), comparo as tuas atitudes e a forma carinhosa como me tratas com a maneira de agir dos pais dos meus amigos…

Não há dúvida alguma: és o pai mais maravilhoso do mundo, e eu sou capaz de qualquer coisa para honrar e continuar a merecer essa tua maneira carinhosa de me aceitar e conviver, mais do que apenas como a um filho, mas como um grande amigo.

Tu não precisas de me dizer as tuas preocupações para comigo e para com toda a família, pois apesar de “não perder a ternura jamais”, percebemos no teu rosto o cansaço pelo trabalho e pela responsabilidade de suprir as nossas necessidades diárias e prever, também, as nossas necessidades futuras.

Não falo apenas de dinheiro, mas também de carinho e atenção. Amo-te Pai.