Hannah Dickenson convenceu pais e amigos a doarem mais de 30 mil euros para o tratamento de cancro, quando afinal ia a festas no estrangeiro.

Uma jovem australiana, Hanna Dickenson, contou aos pais em 2013 que estaria com Leiomiossarcoma (LMS), um raro cancro do músculo, e que apenas teria semanas para viver caso não fosse submetida a tratamento médico no estrangeiro. Os pais, agricultores da pequena cidade de Swan Hill no sul da Austrália, dedicaram-se a ajudar a sua filha, com 19 anos na altura, a todo o custo.

Depois de família e amigos terem reunido dezenas de milhares de euros é que se descobriu que a rapariga não teria qualquer doença e que estaria apenas a gastar o dinheiro em viagens pela Europa, em álcool e drogas.

Agora com 24 anos, Hanna declarou-se culpada no Tribunal de Magistrados de Melbourne por sete acusações de obtenção de propriedade alheia por burla, segundo conta o Herald Sun.

Inicialmente Dickenson contou aos pais que estaria a receber tratamento nos hospitais de Epworth e Peter MacCallum mas, como estes não estavam a resultar, seria preciso uma alternativa no estrangeiro. Como os pais tinham problemas financeiros, Hanna virou-se para os seus amigos para conseguir dinheiro para ir até à Europa e Tailândia.

Ao todo, a jovem australiana conseguiu 32 mil euros dos pais e amigos. O esquema acabou por ser descoberto porque Hanna publicou nas redes sociais imagens das suas viagens e dos seus excessos.

Hannah Dickenson foi condenada a três meses de prisão e terá de devolver inteiramente o dinheiro que foi retirado às suas vítimas.

Sábado.pt